Panfleto Virtual
Fechar

Carnaval

 

 

 

Bloco Cortejo Afro - Ano XX

 

Milagres do Povo - uma homenagem a Caetano Veloso

 

 

No carnaval 2018 o Cortejo Afro inspirado na música Milagres do Povo de Caetano Veloso promoverá homenagem a este artista reconhecido mundialmente pela importância de obra. Durante os desfiles, o Bloco abordará também temas referenciados na canção, que se assemelham a trajetória de 20 anos do Cortejo Afro, promovendo experiências estéticas que vão unir dança, música e artes visuais em um mesmo espetáculo.

 

O Bloco Cortejo Afro desfila sexta-feira (09/02) no Circuito Avenida, e domingo e segunda-feira (11 e 12/02) no Circuito Barra – Ondina, e contará com a participação de 1.500 foliões, ala composta por senhoras da 3ª idade, e ala de baianas tradicionais.

 

A Banda Cortejo Afro animará o Bloco fazendo o público cantar, dançar e se divertir. No domingo, o grupo recebe a cantora Mariene de Castro como convidada especial.  

 

O Bloco foi idealizado pelo artista plástico Alberto Pitta, que há 30 anos desenvolve trabalhos ligados à estética e cultura africana. A intenção de Pitta é resgatar as cores, sons e ritmos do carnaval, que em sua opinião “o tempo se encarregou de apagar, tornando a maior festa popular do mundo, numa pasta só”. Daí a introdução predominantemente do branco sobre branco, o azul e prata que são cores de Oxalá. Já os grandes sombreiros, segundo Pitta, “visam passar o visual dos reinados das tribos africanas, especialmente de Benin, Costa do Marfim, dentre outros países africanos”.

 

O Bloco transmite alto astral através de suas músicas e coreografias ricas em movimentos ligados a influência negro-mestiça e das roupas exuberantes, que lhe redeu a premiação, nos últimos 2 anos, de Melhor Fantasia de Bloco Afro pelo Troféu Dodô e Osmar.

 

O Bloco Cortejo Afro foi criado em 02 de julho de 1998, na comunidade de Pirajá. Sua origem, dentro dos limites de um terreiro de candomblé, o Ilê Axé Oiá, sob a inspiração e orientação espiritual da saudosa Yalorixa Anizia da Rocha Pitta, Mãe Santinha, atesta toda a sua identidade, autenticidade e força.

 

Campanha de Crowdfunding:

 

Por causa da dificuldade para conseguir patrocínio, o Cortejo Afro colocou no ar o seu Crowdfunding, para arrecadar recursos para desfilar sua essência nos circuitos do Carnaval de Salvador. Para saber como contribuir os interessados podem acessar https://www.kickante.com.br/cortejoafro

 

Serviço:

 

·Valor: R$200,00

 

·Fantasia: Única para os 3 dias. Modelo Unissex.

 

·Programação:

 

09/02 (sexta-feira) – Concentração às 23horas, no Corredor da Vitória;

 

11/02 (domingo) – Concentração às 19h, no Farol da Barra;

 

12/02 (segunda-feira) – Concentração às 20h, no Farol da Barra.

 

Vendas: Central do Carnaval, balcão Samba Vivo (shopping Piedade) e na Sede do Cortejo Afro (Praça das Artes, Rua Gregório de Matos, s/n, Pelourinho, Salvador /Bahia), na semana do Carnaval

  

 

BLOCO CORTEJO AFRO 2017

CorteGil – Um Canto de Afoxé para Gilberto Gil

O Cortejo Afro, em 2017, desfila no carnaval com o tema “CorteGil – Um Canto de Afoxé para Gilberto Gil”, prestando uma honrosa homenagem a esse que é, indiscutivelmente, o maior e mais completo artista da música popular brasileira de todos os tempos: Gilberto Gil.

Gil é poeta do povo, pai da Tropicália e expoente máximo da cultura brasileira no mundo, o maior e mais completo artista da música popular brasileira de todos os tempos.

 

O Bloco desfila sexta-feira (24/02), no Circuito Osmar, e domingo e segunda (26 e 27/02), no Circuito Dodô, e contará com a participação de 1.500 foliões; bateria composta por 100 percussionistas – a maior banda do carnaval da Bahia - dos quais alguns vem da Europa, exclusivamente, para tocar com o Cortejo Afro; ala composta por 100 senhoras da 3ª idade; e ala de 50 baianas tradicionais.

O Bloco Cortejo Afro foi criado em 02 de julho de 1998, na comunidade de Pirajá. Sua origem, dentro dos limites de um terreiro de candomblé, o Ilê Axé Oiá, sob a inspiração e orientação espiritual da Yalorixá Anizia da Rocha Pitta, Mãe Santinha, atesta toda a sua identidade, autenticidade e força.

Foi idealizado pelo artista plástico Alberto Pitta, que há 30 anos desenvolve trabalhos ligados à estética e cultura africana. A intenção de Pitta é resgatar as cores, sons e ritmos do carnaval, que em sua opinião “o tempo se encarregou de apagar, tornando a maior festa popular do mundo, numa pasta só”. Daí a introdução predominantemente do branco sobre branco, o azul e prata que são cores de Oxalá. Já os grandes sombreiros, segundo Pitta, “visam passar o visual dos reinados das tribos africanas, especialmente de Benin, Costa do Marfim, dentre outros países africanos”.

O Bloco transmite alto astral através de suas músicas e coreografias ricas em movimentos ligados a influência negro-mestiça e das roupas exuberantes, que lhe redeu premiações, de Melhor Fantasia de Bloco Afro pelo Troféu Dodô e Osmar.

Fantasia -  A estampa e o modelo da fantasia do bloco Cortejo Afro 2017 foram desenvolvidos pelo estilista Fause Haten e por Alberto Pitta, artista plástico e presidente do Cortejo Afro. O tecido impresso com tecnologia digital, através da cooperação com Paulo Borges, criador do São Paulo Fashion Week, recebeu estampas em 3D, que confere mais beleza e melhor qualidade à peça. 

Serviço:

O quê: Bloco Cortejo Afro 2017 - "CorteGil – Um Canto de Afoxé para Gilberto Gil"

Quando: Sexta, na Avenida, Domingo e Segunda, na Barra

Vendas: Sede do Cortejo Afro, Central do Carnaval, Balcão Samba Vivo (Shopping Piedade – 2º Piso), www.centralblack.com.br.

 

Valor: R$300,00